Cidades

CIDADES

Fã de locutor, mulher corre pelada em frente a rádio

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

/ Por: ITAPEBINOTICIAS.COM / WHAT (73)9 8203-7072
Ela corria 50 metros, parava, voltava e corria de novo em zigue-zague pela calçada", conta Paulo Cotienschi.
O empresário de Novo Hamburgo (a 42 km de Porto Alegre) testemunhou, no domingo (16), o quarto caso em menos de um mês em que uma mulher nua é vista correndo pelas ruas do Rio Grande do Sul.
A cena aconteceu desta vez na rua Araribóia, no bairro Rio Branco, em Novo Hamburgo –os outros três episódios foram em Porto Alegre.

Por volta das 11h do domingo, o empresário topou com a mulher sem roupa quando buscava a sobrinha para o almoço. Ele filmou a corrida da nudista com a câmera do celular.
"Ela estava correndo praticamente em frente a uma rádio. Pode ser que estivesse tentando chamar a atenção do pessoal de lá", afirma.
O empresário deve estar certo. Na Rádio Alegria, que funciona naquela rua, ela já é conhecida por ser "fanática por um locutor" da casa. Nesta segunda (17) mesmo, esteve (vestida) no local, mas foi barrada na portaria.
O locutor em questão é Marcello Garccia, 43, dono do vozeirão que apresenta o "Bom Dia, Alegria", das 9h às 12h, e o "Correio do Coração", de mensagens motivacionais, das 22h à 1h. "O segundo programa é uma ouvidoria sentimental", explica Marcello, que é casado e tem filhos.
"Eu não a vi pelada no domingo. Vi os guris mostrando as fotos depois aqui. O pessoal diz que ela é mais minha fã, mas ela tirou a roupa no horário de outros locutores. Eu disse para eles: acho que vocês andaram conquistando a minha ouvinte", brinca.
O locutor já encontrou a mulher pessoalmente. "O nome dela eu não me recordo, até porque ela vinha e nem falava muita coisa. Só queria falar que gostava da rádio."
Marcello diz que o assédio de ouvintes é comum, principalmente porque a rádio em que trabalha busca "mexer com a emoção das pessoas".
Ele não usa mais celular porque descobriam seu número o tempo todo e ligavam "até de madrugada". "Aí o casamento não dura, né?", diz.
Para ele, as pessoas estão muito carentes hoje. "Quando tu dá atenção, tu muda isso, cria um vínculo. Alguns confundem com alguma coisa a mais, mas outros levam realmente para aquele lado de serem bem recebidos."
Pelada, a fã, de cerca de 40 anos, não foi tão bem recebida assim no domingo. Quando a polícia chegou à rua Araribóia, acionada por moradores da região, a mulher já tinha se vestido. Por isso, foi imediatamente liberada, sem nenhum registro de ocorrência. A polícia não soube informar seu nome

FONTE: FOLHA UOL

Nenhum comentário

Postar um comentário

Mais
© Imprensa
Itapebi Noticias Todos os direitos reservados.