Cidades

CIDADES

Ejaculação feminina é real! 4 mulheres contam como aconteceu com elas…

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

/ Por: ITAPEBINOTICIAS.COM / WHAT (73)9 8203-7072
Há quem pense que a ejaculação feminina não existe e não passa de urina ou lubrificação vaginal em excesso. Mas estas quatro mulheres ouvidas pelo UOL garantem que já ejacularam. Aqui, elas contam o que sentiram e o que fizeram para chegar lá.
“Sexo oral por uns 40 minutos”
“Conheci um cara na balada e marcamos de sair uns dias depois. Era um dia que eu estava muito a fim de transar. Não conhecia direito o rapaz, nem estava apaixonada. Mas eu estava desencanada, focada somente em ter prazer.
Fomos ao motel e ele me chupou por uns 40 minutos antes da penetração. Gozei várias vezes! Chegou uma hora em que eu aguentava mais… Foi quando ejaculei
Fiquei uns cinco minutos tremendo. Ele conseguiu me fazer ejacular com a estimulação do ponto G e do clitóris ao mesmo tempo. Notei que não era xixi, porque é a sensação orgástica é quadriplicada. O relaxamento é tão grande, que você realmente perde suas forças.” M. V., 25 anos, internacionalista.
“Ejaculei me masturbando”
“Ejaculei a primeira vez me masturbando, aos 15 anos. Na hora eu pensei que fosse xixi, mas anos depois, transando com meu marido, aconteceu de novo.
Depende do nível de excitação e do movimento que o meu marido faz – todas as vezes que aconteceu ele estava por cima e o clitóris era diretamente estimulado. Para tirar a prova que não era xixi, eu passei a ir ao banheiro antes de transar e não beber água algumas horas antes. A ejaculação não tem cheiro. A sensação é muito boa, mas não acho que não ejacular é menos prazeroso. ” G. P., 23 anos, estudante.
“Estimulo meu clitóris no mesmo ritmo da penetração”
“Ejaculei a primeira vez com um sexo oral maravilhoso, que estimulou diretamente o meu ponto G. Pela primeira vez senti o meu corpo todo ser envolvido com a sensação de prazer, uma espécie de arrepio, pernas bambas e espasmos. O rapaz não sabia o que estava acontecendo e disse ‘nossa, você espirrou na minha boca’.
Depois disso, com o tempo, e com o trabalho constante como garota de programa, quanto mais o meu corpo foi estimulado, mais a minha sensibilidade aumentou. No início, demorava mais de duas horas para gozar com penetração e 20 minutos com oral ou estímulo direto e correto no clitóris. Atualmente, gozo em questão de 20 minutos com a penetração mais profunda – mas tenho que estimular o meu clitóris também e, de preferência, no mesmo ritmo que a penetração.” M.M., 19 anos, acompanhante de luxo.
“Não aconteceu do nada. Eu treinei”
“A primeira vez e todas as outras em que ejaculei foram quando estava me masturbando. A sensação é de uma vontade de fazer xixi e, ao mesmo tempo, um tesão muito, mas muito, grande. É um orgasmo mais intenso.
Só acontece quando eu estimulo o meu ponto G – eu encaixo o dedo e faço o movimento de ‘vem cá’. Mas não aconteceu do nada, eu treinei. Eu vi um vídeo em que a mulher tinha e parecia surtar de tesão e quis sentir também. Demanda tempo e disposição, no meu caso. Por isso, não ejaculo sempre.” M.L., 32 anos, servidora pública.
Por: Gabriela Guimarães – bol.uol

Nenhum comentário

Postar um comentário

Mais
© Imprensa
Itapebi Noticias Todos os direitos reservados.