Cidades

CIDADES

Preso na Lava Jato, Moreira Franco foi mestre nas intrigas do poder

quinta-feira, 21 de março de 2019

/ Por: REDAÇÃO

Informações: R7

Chamado por Leonel Brizola de gato angorá por causa cabelos brancos e  sempre aderir ao poder, como o “bichano” que passa de colo em colo, Moreira Franco também recebeu o apelido de anjo mau, mas na verdade foi sempre um camaleão na vida política.

MDB: não há irregularidade por parte de Temer e Moreira Franco

Teve status de ministro no governo de Michel Temer depois de ser um dos articuladores do impeachment de Dilma Rousseff. E também foi ministro de petista, que ajudou a derrubar do poder, além de ter assessorado Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

Foi casado com a neta de Getúlio Vargas, Celina Vargas do Amaral Peixoto, e por isso na década de 1980 também ficou conhecido como o “genro do genro”. A união durou com Celina durou até 1989.

Hoje, Moreira Franco é casado com a sogra do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Foi governador do Rio de Janeiro, prefeito de Niterói, três vezes deputado federal, vice-presidente da Caixa Econômica Federal e ocupou secretarias importantes.

Moreira Franco   nasceu em 19 de outubro em Teresina (PI) e mudou-se ainda criança com a família para o Rio de Janeiro.

Começou na política estudantil aos 15 anos, quando o presidente era Juscelino Kubitschek.


Depois do golpe militar de 1964, o estudante de sociologia da PUC integrou a Ação Popular, grupo de resistência ao regime.

Foi preso em 1967, acusado de subversão política. Entrou no MDB em 1972 e eleito deputado em 1974. Em 1979 foi para a Arena, partido que apoiava a ditadura.


Com o fim da ditadura e a ida do PMDB ao poder com José Sarney assumindo a presidência da República após a morte de Tancredo Neves, decidiu mudar de lado e voltou a ser peemedebista, legenda em que permanece até hoje e que voltou a ser MDB.

Como governador, foto com bicheiros

Moreira Franco foi eleito governador do Rio de Janeiro em 1986, no embalo do plano Cruzado e a curta popularidade de Sarney, com quem viria a romper logo depois. Como governador, enfrentou acusações de desvios e concorrências irregulares. Em fevereiro de 1991, prestes a deixar o cargo, recebeu no Palácio Guanabara a cúpula da contravenção e foi fotografado ao lado de bicheiros como Anísio Abrão David, e Carlinhos Maracanã.

Ainda como governador do Rio, seu preparador físico foi um dos envolvidos no sequestro do publicitário Roberto Medina, que só foi liberado após pagamento de resgate.

Temer, o grande amigo

A amizade de Moreira Franco com Michel Temer começou em 1995, quando atuou na campanha do ex-presidente para a liderança do PMDB. A proximidade era tanta que Moreira Franco foi apontado como o grande conspirador contra Dilma Rousseff antes e durante o processo de impeachment da petista. Sempre negou a acusação. “O PMDB não trai nunca”, disse.

Também teria sido Moreira Franco o autor da famosa carta de Michel Temer a Dilma Rousseff, em que dizia ser um “vice-decorativo” O político sempre negou ter sido o ghost-writer.


Com Temer no poder, assumiu a Secretaria-Geral da Presidência.

Lava Jato

Quando foi nomeado por Michel Temer secretário-geral da Presidência, o senador Randolfe Rodrigues e o Ministério Público Federal afirmaram que tudo era uma manobra para dar ao aliado a imunidade do cargo com o status de ministro.

O MPF ouviu dos delatores da Odebrecht várias vezes citações ao nome de Moreira Franco, que na planilha de pagamento de propinas da empreiteira teve o nome associado ao gato angorá.

A ordem de prisão de Moreira Franco partiu do juiz federal Marcelo Bretas, que comanda a Lava Jato no Rio de Janeiro.

A base para o pedido de prisão teria sido a delação do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, que teria envolvido o nome do peemedebista em esquemas de fraudes na Caixa Econômica Federal, realizadas enquanto ele era vice-presidente da instituição financeira.


Em dezembro de 2014, Moreira Franco disse em um evento no Rio de Janeiro que a Lava Jato iria trazer "profundas consequências na governança e na gestão da  Petrobras".

Moreira Franco pareceu antever o que aconteceria com a estatal do petróleo, só não imaginou que tudo acabaria com a sua prisão. Agora, resta saber se o velho político conseguirá usar tudo o que aprendeu como gato angorá, anjo mau e camaleão para sair da cadeia.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Mais
© Imprensa
Itapebi Noticias Todos os direitos reservados.